meu sou

Queria eu também ser apenas o que se é.

À beira do Léman,
No arrebol da Romandia,
Me floresce no peito a certeza da vida.
E o segredo suíço é sabido,
À precisão da beleza,
À prudência da maravilha.

Minha desconfiança é plural, mas
o lago,
os alpes,
a neve,
e o nada dizem também respeito a mim.

Porque o mundo é dos apaixonados,
E a meu ver o que é se ser é ser assim.

Gabriel Martello
(09/12)

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s