A vez do poeminha

Reivindica aqui, o poeminha,
O que nunca lhe foi dado.
Evite, leitor, despercebido por ele
Passar direto ao poema do lado.

Perceba o poeminha!
Não recite por pena o coitado.
Tem como todos os outros sua página própria,
Não merece ser desprezado.

Não despreze o poeminha, leitor,
Quem o lê interpreta:
Faz também jus a mim.

Ora! Atenta até à rima,
O pobrezinho do poema,
E faz questão de ter começo, meio e fim.

-2013

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s